Pinças cirúrgicas: tipos e aplicações em procedimentos médicos

As pinças cirúrgicas são instrumentos muito úteis e essenciais para um procedimento dessa natureza. Com elas, o cirurgião pode manusear tecidos, grampear e até mesmo realizar processos hemostáticos.

Cada um dos tipos de pinças cirúrgicas serve para determinadas funções e conhecer suas variedades é essencial para entender mais sobre a própria cirurgia. Em nosso artigo, iremos conhecer cada um desses instrumentos e sua variedade.

Entendendo o que são instrumentais cirúrgicos?

Os instrumentos cirúrgicos são objetos utilizados no procedimento da cirurgia. Na maior parte dos casos, esses instrumentos não são apenas úteis, mas sim essenciais para que o processo ocorra de forma segura e eficaz.

As pinças, por exemplo, são apenas um de vários desses  instrumentos. Existem muitos outros como lâminas, tesouras e equipamentos tecnológicos diversos. Cada um especial para uma função diferente.

Pinças cirúrgicas: o que são?

Dentro do conjunto dos instrumentos cirúrgicos, as pinças tem um lugar de destaque. Com elas é possível “pinçar” tecidos, ossos, pele e até outros instrumentos. Certas pinças tem recursos de grampear ou mesmo de segurar com firmeza veias e artérias, assim evitando hemorragias.

Para determinados procedimentos, como a retirada de um órgão ou glândula, as pinças são instrumentos essenciais para que o processo ocorra. Enfim, são itens básicos para a maior parte das cirurgias.

Para que servem as pinças cirúrgicas?

As pinças cirúrgicas servem para processos bem diferentes em uma cirurgia. Podemos pontuar suas principais funções como:

  • Pinçar: pegar os tecidos, carne, órgãos e outros componentes do corpo;
  • Grampear: fixar os tecidos sem que o médico necessite manusear o objeto;
  • Acessar regiões difíceis: pinças curvas e longas servem para acessar regiões difíceis do corpo humano;
  • Hemostática: capaz de segurar vasos e artérias para evitar hemorragias.

As pinças também servem, em muitos casos, como uma extensão do membro do profissional, servindo como alavanca para exercer mais força.

Quais os benefícios trazidos pelas pinças cirúrgicas?**

Com as pinças certas, cirurgias que seriam impossíveis são muito mais viáveis. E pode até parecer que não, mas as pinças podem salvar vidas.

Um exemplo está na sua própria história! Quando Emil Theodor Kocher criou um dos tipos de pinças cirúrgicas mais famosas, a pinça Kocher, as taxas de óbito em decorrência de cirurgias para remoção de tireoide, que tinham chegado a 75%, caíram para 1%.

Quais os materiais mais usados na fabricação de pinças cirúrgicas?

As pinças cirúrgicas devem ser produzidas com um material de qualidade, não tóxico e que possa ser utilizado para cirurgias.

No geral, esses materiais são dois: o aço cirúrgico ou o aço inox. Ambos metais são bem resistentes, duráveis, não oxidam com facilidade e são versáteis. Outra vantagem é que não são magnéticos.

Pinças hemostáticas o que são?

Pinças hemostáticas são aquelas utilizadas para interromper sangramentos e hemorragias. São pinças essenciais em cirurgias que são mais invasivas.

Essas pinças são muito úteis, pois permitem que o cirurgião pare uma grande sangramento com facilidade, sem a necessidade de um processo complexo.

Pinças hemostáticas traumáticas e não traumáticas: diferenças**

Ambas pinças, traumáticas e não traumáticas – ou atraumáticas – servem para estancar hemorragias. A diferença é que as pinças traumáticas têm dentes bem finos.

Já as pinças atraumáticas têm dentes em ranhuras e são ideais para pressionar vísceras e vasos maiores.

Tipos de pinças cirúrgicas

Vamos conhecer cada um dos tipos de pinças cirúrgicas. Todas elas acompanhadas de uma opção de compra de pinças cirúrgicas de qualidade e com um preço especial para você. Confira!

Pinça Doyen**

A pinça Doyen é um instrumento especial muito utilizado por profissionais para exames no reto ou ginecológicos.

Esta pinça tem um formato especial para auxiliar esses profissionais a retirar tecidos dessas áreas do corpo, em especial para realizar biópsias. Você pode comprar a pinça Doyen na Endocommerce aqui.

Pinça Adson**

A pinça Adson é uma pinça dedicada a manipular tecidos muito delicados. É utilizada por profissionais dermatologistas, oftalmologistas, dentistas e em cirurgias plásticas.

Ela é menor que outros aparelhos de nossa lista e suas pontas são dentadas para uma aderência adequada. Você pode comprar a pinça Adson da Endocommerce aqui.

Pinça Allis**

A pinça Allis é ideal para cirurgias na região do abdômen, cirurgias intestinais e para tirar tecidos lesionados.

Essa pinça é bem forte e pode ser utilizada até mesmo para cortar o tecido caso o cirurgião aperte o instrumento. Você pode comprar a pinça Allis da Endocommerce aqui.

Pinça Bulldog**

A pinça Bulldog é uma pinça usada para repor e fixar certos tecidos durante o procedimento cirúrgico. Seu formato é consideravelmente robusto

Essa pinça é ideal para lidar com músculos e gordura e é utilizada por profissionais da ortopedia e cirurgiões plásticos. Você pode comprar a pinça Bulldog aqui.

Pinça Hastead**

A pinça Hastead é uma das pinças hemostáticas mais utilizadas por profissionais. Seu formato a torna ideal para acessar regiões difíceis do organismo.

Com ela é possível fechar vasos sanguíneos de tecidos com praticidade e depois apenas retirá-la quando o profissional visualizar os tecidos. Você pode comprar a pinça Hastead aqui.

Pinça Kocher: qual sua função?

A pinça Kocher, é também uma pinça hemostática, que foi criada por um cirurgião especialista em remoção de tireoides.

Mas embora esta tenha sido sua criação, a pinça serve para inúmeros processos diferentes, como estancar hemorragias, grampear e pinçar tecidos e órgãos. Você pode comprar pinça Kocher da Endocommerce aqui.

Qual a origem desse instrumento cirúrgico?**

A pinça Kocher foi criada pelo ganhador do prêmio Nobel de medicina Emil Theodor Kocher, um dos grandes cirurgiões da história humana.

Sua criação proporcionou uma taxa de sucesso em cirurgias de remoção de tireoide que nunca foi alcançada antes, além de também ser utilizada por outros cirurgiões.

O que considerar na hora de comprar uma pinça cirúrgica?

Existem pontos que devem ser considerados na hora de analisar os tipos de pinças cirúrgicas para comprar. Entre eles podemos destacar:

  • Preço;
  • Marcas;
  • Material da composição;
  • Função desejada;
  • Cirurgia que será feita.

Uma boa compra deve analisar todos esses critérios. Assim que considerá-los, com certeza estará apto para fazer um bom negócio!

Características de uma pinça cirúrgica de qualidade**

A pinça cirúrgica deve ser durável, feita de um material resistente e de boa qualidade. Ela também deve ter uma ótima resistência para pinçar e grampear.

Essas características devem ser analisadas antes da compra, e para que continuem por um bom tempo é preciso utilizar os instrumentos com cuidado.

Como escolher a pinça cirúrgica ideal para cada procedimento?

pincas-cirurgicas-tipos-imagem-01- Endocommerce

Cada procedimento irá solicitar um dos tipos de pinças cirúrgicas diferentes. Para escolher o instrumento correto é preciso ter experiência ou um conhecimento adequado da cirurgia que será feita. Entre os fatores determinantes estão:

  • Tipo de cirurgia;
  • Região do corpo que será acessada;
  • Tipo de tecidos que serão manuseados;
  • Entre outros.

Somente o profissional cirurgião sabe reconhecer a pinça adequada para seu trabalho e levar em consideração os fatores que implicam nessa escolha.

Como o tipo de pinça pode afetar o resultado de uma cirurgia?**

Para certas cirurgias os tipos de pinças cirúrgicas são essenciais para o seu sucesso. Alguns procedimentos não podem ser feitos sem o auxílio desses instrumentos.

Não só isso, como mencionamos no caso das pinças Kocher, elas foram necessárias para que a taxa de sucesso das cirurgias fosse elevada.

Quais as técnicas de manuseio das pinças cirúrgicas durante uma operação?

As pinças podem ser utilizadas de dois modos, principalmente para pinçar ou pegar os tecidos, e para grampear.

Durante o grampeamento o médico não precisa segurar a pinça, o que é muito prático, pois assim tem suas mãos livres para realizar outros procedimentos. Por outro lado, se utilizar a pinça, ele tem mais controle sobre o processo.

Como as pinças cirúrgicas se comparam a outros instrumentos cirúrgicos em termos de eficácia e segurança?

As pinças são muito seguras, desde que estejam em bom estado. E diferente de outros instrumentos como os cortantes, elas oferecem pouco risco para uma cirurgia.

Mas claro, somente profissionais devem utilizar as pinças, mesmo que sejam mais seguras que lâminas como bisturis e tesouras.

Qual a diferença entre pinças cirúrgicas retas e curvas?

Entre os tipos de pinças cirúrgicas, há dois modelos que se destacam e existem para praticamente toda variedade desses instrumentos, que são os retos ou os curvos.

As pinças retas permitem um controle maior e um manuseio mais seguro da pinça. Já a pinça curva permite que o profissional acesse áreas difíceis do organismo e consegue pegar tecidos em lugares mais profundos.

Como as pinças cirúrgicas são usadas em cirurgias minimamente invasivas?

Pinças que são pouco invasivas, e mais utilizadas, são as menores ou mesmo as pinças curvas que permitem um acesso menos agressivo.

Mas as preferidas dos profissionais são pinças menores como o modelo Adson. Essas pinças são tão delicadas que podem ser utilizadas para procedimentos dermatológicos.

Afiação de pinças cirúrgicas: qual a importância?

Manter as pinças cirúrgicas afiadas, no caso das que precisam de afiação, claro, é essencial para que na hora da sua utilização elas sejam confiáveis.

Quando uma pinça não está afiada é um terror caso o cirurgião só descubra isso quando precisar dela, portanto, fazer essa manutenção nelas periodicamente é essencial.

O que usar para afiar pinças cirúrgicas?**

A equipe hospitalar e o profissional cirurgião, ou qualquer outro profissional da saúde, não devem afiar o produto por conta própria.

Quem afia as pinças cirúrgicas, e qualquer outro instrumento cirúrgico, são profissionais capacitados para tal. A forma como esses profissionais afiam são com equipamentos e produtos específicos.

Erros mais comuns cometidos na hora de afiar pinças cirúrgicas

O erro mais comum realizado na hora de afiar pinças e instrumentos cirúrgicos é uma afiação mal feita. E por mal feita podemos pontuar afiar a lâmina de maneira irregular, permitir que hajam ranhuras e um corte inadequado.

O que são instrumentos especiais?

Além dos tipos de pinças cirúrgicas, existem uma série de outros instrumentos cirúrgicos. Inclusive os chamados instrumentos especiais.

Esses são instrumentos utilizados de maneira excepcional e extraordinária na cirurgia, não são comuns e nem todos os profissionais os utilizam. Esses itens costumam ser de especialidades específicas, como instrumentos utilizados por um otorrino próprio de sua modalidade.

Quais os avanços recentes no design e tecnologia de pinças cirúrgicas?

Não existem muitos avanços a respeito do design das pinças cirúrgicas. Em partes isso já denota o quão úteis são os modelos existentes.

Porém, uma novidade que vem mudando não só os tipos de pinças cirúrgicas, mas também outros instrumentos é a robótica. Já existem equipamentos robôs acoplados com pinças cirúrgicas e operados de modo remoto.

Como as novidades contribuem para as cirurgias?**

Essas pinças robôs que já mencionamos trazem muitas vantagens para a medicina. Esses robôs são precisos, podem ser operados à distância e permitem uma cirurgia menos invasiva e mais segura.

Para operá-los, entretanto, é necessária uma profunda especialização. Mas sem dúvidas vale todo o trabalho.

Como garantir a segurança do paciente durante o uso das pinças cirúrgicas?

As pinças cirúrgicas, na maior parte das vezes, não oferecem muitos riscos durante a cirurgia. Mas todo cuidado é pouco, considerando as adversidades já oferecidas pelo próprio procedimento.

Por exemplo, um problema grave é esquecer instrumentos cirúrgicos no interior do paciente durante a cirurgia e isso também pode acontecer com as pinças.

Como esterilizar as pinças cirúrgicas?

Existem dois tipos de esterilização dos tipos de pinças cirúrgicas: a química e a esterilização física.

Na esterilização química são utilizados produtos como óxido de etileno, formaldeído, glutaraldeído entre outros componentes. Já na esterilização física é usado radiação ionizante e calor seco.

Como saber se a pinça cirúrgica foi esterilizada corretamente?**

A melhor maneira de saber se a pinça cirúrgica foi esterilizada de modo correto é cumprindo com todas as normas de esterilização.

E após esterilizar, também é necessário manusear de modo correto para evitar qualquer tipo de contaminação.

Como evitar danos ao item na hora do procedimento?

Se a pinça for produzida de um bom material, como o aço cirúrgico ou aço inox, então ela não sofrerá danos durante a esterilização.

Claro, desde que a esterilização seja feita segundo as normas corretas e não seja utilizado nenhum produto fora do padrão exigido.

É possível reutilizar as pinças cirúrgicas?**

A maior parte dos tipos de pinças cirúrgicas são reutilizáveis. Basta que sejam limpos da maneira correta, higienizados e esterilizados.

Lembrando que a má higiene das pinças e de qualquer instrumento cirúrgico pode acarretar problemas graves aos pacientes como infecções e atraso na recuperação de cirurgias.

Como cuidar das pinças cirúrgicas após o uso?

O primeiro passo para cuidar das pinças é higienizá-las. Porém, também é possível utilizar a manutenção preventiva desses instrumentos.

Para pinças que são utilizadas com frequência, a manutenção preventiva pode ocorrer sempre após um procedimento cirúrgico. Assim suas pinças sempre estarão em bom estado e terão uma vida útil mais longa.

Formas de cuidar do equipamento para garantir maior segurança

Como comentamos, a maneira mais eficaz de cuidar da sua pinça é realizar a manutenção preventiva. Tomar outros cuidados adicionais é igualmente bem-vindo.

Guardar o material em lugar adequado, limitar seu uso apenas para os profissionais capacitados e estar atento a todo sinal de ineficiência do objeto são alguns cuidados que podem ser tomados com suas pinças cirúrgicas para que elas estejam sempre em perfeito estado.

Médicos cirurgiões devem conhecer todos os tipos de pinças cirúrgicas e saber como cada uma delas é utilizada nos diferentes procedimentos. Assim, sempre serão capazes de usar o modelo correto para o procedimento correspondente.

Endocommerce

Endocommerce

Compartilhe esse material:
Está com alguma dúvida?
Entre em contato conosco!

Inscreva-se em
nossa Newsletter

Postagens recentes

Postagens relacionadas